Seminário: por uma clínica topológica – identificações

Ministrante: Mario Fleig   A identificação (1961-1962) é o tema do seminário de Lacan, que vem na continuidade da postulação freudiana: o entrecruzamento entre a escolha de objeto e a identificação. Freud, apesar de todos os seus avanços na elucidação desta temática ao diferenciar três tipos de identificação e esclarecer como se forma neste processo o supereu, nunca ficou satisfeito com suas elaborações no tocante à identificação. Se o eu, o ego, se constitui pelas identificações, Lacan desloca a questão buscando o que funda a identificação do sujeito, o sujeito do inconsciente: o significante. Se a escolha de objeto visa a dimensão do ter, a identificação toca na problemática do ser do sujeito. Se antes a problemática da identificação remetia ao outro com quem oego se identifica, para Lacan se trata antes da relação do sujeito com o significante: que eu sou? E isso implica a questão do nome próprio. Assim, o amor do objeto e o amor de si mesmo, aparente incompatibilidade entre essas duas formas de escolha de objeto, são intercambiáveis pela postulação freudiana de um estádio falo-narcísico, e enriquecidos pela noção de amor de objeto parcial de K. Abraham. Para este, no amor objetal parcial os genitais estão excluídos, em função da intensidade com que o sujeito os investe. Ora, a fase fálica comporta uma identificação que permanece obscura, ainda que esteja em jogo precisamente a...

Ler mais